Doenças ocupacionais: veja as principais e como evitá-las!

Doenças ocupacionais

Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, que preza sempre pela produtividade e alta performance, é muito comum ouvirmos falar de doenças ocupacionais. Normalmente, elas começam a aparecer de forma silenciosa, mas podem gerar grandes prejuízos para as empresas e para seus funcionários.

As doenças ocupacionais são qualquer tipo de complicação de saúde, física ou mental, que um colaborador venha sofrer que tenha sido motivada pelo próprio trabalho.

Para se ter ideia, apenas em 2017, de acordo com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), os trabalhadores afastados por doença ou acidentes de trabalho no estado de São Paulo receberam R$544,2 milhões em benefícios.

Quando deixada de lado, essa doença do trabalho pode ser difícil de ser tratada e até mesmo impedir o colaborador afetado de retornar a suas atividades do serviço. Por isso, é essencial que as empresas saibam exatamente o que são doenças ocupacionais. 

Além disso, é necessário tomar medidas preventivas rigorosas para controlar esse mal e contribuir para a qualidade de vida dos colaboradores. Para te ajudar nessa tarefa, preparamos este conteúdo com os principais tópicos sobre o assunto. Vamos lá? 

O que são doenças ocupacionais?

As doenças ocupacionais são complicações desenvolvidas devido ao exercício do trabalhador em sua função profissional, ou seja, elas são causadas justamente pelo ofício do colaborador.

Na prática, isso quer dizer que há alguma coisa errada relacionada às condições de trabalho nas quais este trabalhador está inserido. 

Esse tipo de doença, normalmente, é dividido em duas categorias:

  • doenças profissionais: aquelas que são motivadas por movimentos repetitivos ou por exposição a agentes nocivos a saúde;
  • doenças do trabalho: causadas por uma atividade específica relacionada ao trabalho.

Em razão de fins previdenciários e fiscais, de acordo com a lei 8.213/91, as doenças ocupacionais são equiparadas aos acidentes de trabalho. Portanto, as empresas devem dar atenção necessária a esse problema.

Se você quer entender melhor sobre o que a lei diz sobre os acidentes de trabalho, sugerimos a leitura deste artigo complementar!

Quando a empresa conta com um número elevado de funcionários realizando atividades operacionais, as preocupações devem ser maiores. É necessário investir em estratégias de como prevenir doenças ocupacionais e na redução de riscos para a saúde dos colaboradores.

Se você deseja saber quais são as doenças ocupacionais mais comuns que acometem os trabalhadores e como evitá-las, continue lendo este artigo!

Quais são as principais doenças do trabalho?

Diversas doenças podem afetar o trabalhador em sua rotina principalmente quando há alguma coisa errada ou negligenciada nos itens de segurança que devem ser utilizados. 

Conheça a seguir quais são as doenças ocupacionais mais comuns:  

Lesão por Esforço Repetitivo (LER)

Assim como o próprio nome propõe, LER são lesões causadas por esforços repetitivos. Eles causam distúrbios musculares relacionados ao trabalho podendo causar tendinites, tenossinovites e lesões no ombro. 

Suas principais causas são:

  • movimentos repetitivos;
  • posturas inadequadas;
  • pressão psicológica.

Asma ocupacional

A asma ocupacional é um estreitamento reversível das vias aéreas causado pela inalação de partículas ou vapores relacionados ao trabalho que causam reação alérgica.  

Essa doença pode causar diversos problemas ao colaborador, como:

  • falta de ar;
  • sensação de pressão no tórax;
  • respiração ruidosa;
  • tosse.

Ainda de acordo com o INSS, em 2017, cerca de 22 mil brasileiros tiveram que ser afastados em decorrência dessa doença ocupacional. O impacto financeiro causado ao governo federal foi de mais de R$10 bilhões.

Transtornos mentais

Dentre os principais transtornos mentais relacionados ao trabalho estão a depressão, transtorno de pânico, ansiedade, síndrome de Burnout e estresse pós-traumático.

Geralmente, esses transtornos mentais relacionados ao trabalho estão ligados a problemas que envolvem a rotina corporativa, tais como:

  • trabalhos muito estressantes;
  • jornadas exaustivas;
  • metas abusivas e impossíveis de serem atingidas;
  • falta de reconhecimento no trabalho;
  • demandas excessivas; 
  • baixos salários. 

Síndrome de Burnout

Muito difundida nos últimos anos, a Síndrome de Burnout se destaca entre as doenças mentais relacionadas ao trabalho. Seu conceito é relacionado a um estado físico, mental e emocional de exaustão extrema. 

Ela é resultante do acúmulo excessivo de tarefas estressantes e exigentes. Geralmente, vem acompanhada de ambientes altamente competitivos, em que o colaborador tem grandes responsabilidades. 

Problemas auditivos induzidos

Os problemas auditivos induzidos, principalmente a perda auditiva, são causados por exposição a ruídos ou à vibração existentes nos ambientes de trabalho. É um dos riscos ocupacionais mais frequentes.

Normalmente, essa doença do trabalho acontece quando há riscos existentes no ambiente com exposição contínua a ruídos e barulhos intensos sob Nível de Pressão Sonora (NPS) acima de 85 dB (decibéis) por oito horas diárias, regularmente.

Problemas de coluna

A dorsalgia, nome técnico para problemas na coluna, é uma dor sentida na região dorsal. Seu incômodo pode vir dos músculos, nervos, ossos, articulações, vísceras, dentre outras estruturas relacionadas à coluna vertebral.

Ela é um dos principais problemas que afastou brasileiros dos postos de trabalho nos últimos anos. De acordo com o INSS, nos últimos dez anos, a enfermidade tem liderado a lista de doenças mais frequentes entre os auxílios-doença concedidos pela instituição.

As principais causas dessa doença do trabalho são:

  • força com uso do tronco;
  • levantamento de pesos;
  • postura inadequada;
  • sedentarismo. 

Transtorno das articulações

Esse problema também é causado devido a uma rotina de trabalho pautada em postura inadequada, movimentos repetitivos e sedentarismo. 

Geralmente, essa doença ocupacional acontece quando os colaboradores não possuem mobiliário adequado e não realizam pausas periódicas durante o trabalho para descansar.

Varizes nos membros inferiores

As varizes nos membros inferiores são veias superficiais dilatadas, tortuosas e alongadas que acometem os membros inferiores por causa de doença circulatória. 

Quando relacionadas ao trabalho, elas acontecem em trabalhadores que precisam ficar muito tempo em pé ou sentados, mas sem quase nenhuma movimentação. Portanto, o sedentarismo no trabalho é uma de suas principais causas.  

Como prevenir doenças ocupacionais?

Além de saber o que são doenças ocupacionais e quais as mais comuns, é necessário desenvolver medidas preventivas para adotar em sua empresa. 

Por meio de algumas ações simples no dia a dia é possível evitar que sua equipe desenvolva doenças ocupacionais. Veja agora mesmo como implementá-las:

Implementar a ginástica laboral

Como você pode ter percebido acima, um dos principais causadores de diversas doenças do trabalho é o sedentarismo. Por isso, incluir a ginástica laboral na rotina de sua empresa já pode garantir que seus colaboradores se exercitem por alguns minutos diariamente. 

Doenças ocupacionais

Estabelecer limites para as horas extras

Muitas vezes, os colaboradores levam trabalho para casa e para o fim de semana. Isso acaba desrespeitando as horas de descanso que eles teriam, podendo gerar desgaste emocional.

Logo, sua organização deve estabelecer limites que respeitem os horários de pausa e descanso da equipe que são fundamentais para reduzir o nível de estresse. 

Para isso, é fundamental envolver a liderança de cada setor, para que haja um maior controle sobre as demandas de cada funcionário. Lembre-se que horas extras podem até acontecer, mas não devem se tornar um hábito.

Criar padrões para procedimentos e fiscalizar

Algumas vezes, os funcionários podem sofrer de doenças ocupacionais apenas por não utilizarem os equipamentos corretos ou executar algumas tarefas da forma errada.

Desse modo, para saber como prevenir doenças ocupacionais, é necessário identificar quais procedimentos podem impactar negativamente na qualidade de vida. Assim, é possível ditar as regras para que todos os cuidados necessários sejam tomados na execução.

Além disso, é preciso nomear colaboradores responsáveis pela fiscalização desses procedimentos. Apenas assim será possível garantir que todas as normas estão sendo seguidas.

Oferecer plano de saúde

Outra medida essencial para prevenir doenças ocupacionais é oferecer plano de saúde. Dessa forma, sua organização estará incentivando os colaboradores a se cuidarem e oferecendo os recursos necessários para isso.

O plano de saúde mostra a preocupação da empresa com a saúde e bem-estar de seu time.

Invista na ergonomia do ambiente de trabalho

Os cuidados ergonômicos são indispensáveis para evitar doenças do trabalho. Por isso, ofereça equipamentos preparados para a execução de cada tarefa de seus colaboradores. 

A empresa ainda deve disponibilizar orientações referentes à postura correta da cadeira, do monitor, dentre outras dicas para melhorar o dia a dia de trabalho.

Criar um clima organizacional agradável

Uma das melhores formas de prevenir doenças ocupacionais é proporcionando qualidade de vida aos funcionários durante o trabalho. Oferecer todos os equipamentos e recursos necessários para a execução das tarefas da equipe não é o suficiente. 

Além disso, é preciso investir na manutenção de um clima organizacional agradável. Quando os colaboradores estão envolvidos em um ambiente satisfatório e limpo durante o trabalho, seu bem-estar está elevado, o que reduz, proporcionalmente, os riscos de doenças mentais. 

Por que é importante promover a saúde ocupacional? empresa e o funcionário estejam sempre de olho em possíveis causas de doenças ocupacionais? 

Qual a importância da prevenção de doenças ocupacionais?

Como você já pôde ver, garantir a qualidade de vida e bem-estar dos colaboradores é essencial para o sucesso dos negócios de uma organização. 

Quando uma empresa consegue prevenir as doenças ocupacionais passa a contar com uma equipe mais motivada e saudável para executar suas atividades. A partir disso, a produtividade e qualidade das entregas tendem a aumentar.

Na prática, a prevenção das doenças ocupacionais podem trazer alguns benefícios, como:

  • redução dos afastamentos de funcionários;
  • melhorar a qualidade do clima organizacional;
  • reduz prejuízos financeiros e operacionais relacionados a afastamentos;
  • aumenta a produtividade;
  • eleva o nível de satisfação dos colaboradores.

Qual o impacto do home office e da pandemia no aumento de doenças ocupacionais?

Recentemente, muitos colaboradores foram forçados a trabalhar remotamente para cumprir as normas de isolamento social impostas pelo coronavírus. No entanto, como essa prática não era adotada por muitas empresas, poucas ou até inexistentes foram as regras adotadas pelos colaboradores.

Desse modo, muitos profissionais passaram a trabalhar de casa sem nenhum preparo ou equipamento necessário para suas tarefas. Além disso, as cargas horárias passaram a ser abusivas e os horários de descanso se tornaram inexistentes.

Segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que analisou o impacto da pandemia e do isolamento social na saúde mental de trabalhadores essenciais, os sintomas de ansiedade e depressão afetam 47,3% desses trabalhadores durante a pandemia.

A Síndrome de Burnout também vem crescendo e é um problema que deve ser enfrentado pelas empresas. De acordo com o estudo, cerca de 20 mil brasileiros pediram afastamento médico no ano de 2019 por doenças mentais relacionadas ao trabalho. 

Quais os cuidados no home office para evitar doenças ocupacionais?

Para prevenir as doenças ocupacionais durante o home office, é necessário que as empresas incentivem seus colaboradores a tomarem algumas medidas mesmo em casa. Além disso, é necessário oferecer todos os recursos necessários para que eles realizem suas atividades da mesma forma que fariam no escritório.

Portanto, algumas ações podem ser colocadas em prática, tais como:

Estimular a organização do ambiente de trabalho

Muitas vezes, os colaboradores utilizam a mesa da cozinha, ou um espaço comum da casa para trabalhar. No entanto, esse local improvisado, muitas vezes, fica desorganizado, atrapalhando o desenrolar de suas tarefas.

Por isso, a empresa deve instruir os colaboradores sobre algumas práticas e estimulá-las. Um exemplo disso é a organização do ambiente de trabalho. O ideal é que o colaborador separe um local tranquilo para trabalhar. Além disso, se possível, na mesa em que for utilizar, deve conter apenas os documentos e equipamentos de trabalho.

Estimular a boa postura

A empresa deve estimular seus colaboradores a adotarem o hábito de sentar corretamente e a manter a postura. Portanto, nada de trabalhar sentado na cama ou no sofá. 

Para isso, inclua o envio de e-mails com lembretes e dicas de boa postura no dia a dia dos colaboradores e estimule as lideranças a sempre tocarem nesse assunto.

Incluir pausas na rotina

Outro ponto importante para que os colaboradores trabalhem de forma saudável no home office é incluindo pausas na rotina. Por estarem em casa, muitos funcionários tendem a trabalhar por horas ininterruptas, sem ao menos mudarem de posição.

Por isso, é importante estabelecer um planejamento de pausas na rotina, pensando na correção da ergonomia e na movimentação para evitar o sedentarismo.

As doenças ocupacionais quando levadas a sério podem ser evitadas mesmo durante o home office. Por isso, devem ser pauta de destaque em sua empresa. Invista agora mesmo nessas dicas e ajude a manter a qualidade de vida de seus colaboradores. 

Se você gostou de conhecer essas dicas e quer compartilhar alguma experiência conosco, deixe seu comentário abaixo! E não deixe de conhecer o Xerpay!

Confira outros artigos que você pode se interessar