Educação financeira infantil: dicas práticas para ensinar os pequenos a lidar com dinheiro!

educação financeira infantil

A maioria dos pais não têm a menor ideia de como podem ensinar educação financeira infantil aos pequenos e educá-los a não desperdiçar dinheiro, mesmo tendo consciência de que essa categoria de aprendizado as ajudará muito no futuro. 

Quanto mais cedo as crianças tiverem consciência da importância de administrar bem o dinheiro, mais segurança financeira elas terão ao crescerem.

Porém, o grande problema é que muitos responsáveis ficam perdidos com relação à forma de introduzir as lições sobre economia, poupança, controle de gastos, etc. 

Decerto, não é uma tarefa fácil, mas existem formas de tornar esses momentos de aprendizado muito mais agradáveis para os pequenos. 

Se você quer aprender como ensinar educação financeira infantil, este artigo trará o que você precisa, confira abaixo alguns dos tópicos que detalharemos ao longo do texto:

  • Qual é a importância da educação financeira infantil?;
  • Ideias de atividades lúdicas a para a educação financeira infantil.
  • Como ensinar as crianças a economizar?;
  • Deve-se dar mesada?;
  • Em que idade os pequenos devem receber mesada?;
  • Qual o valor ideal da mesada?;
  • Controle de gastos.

Boa leitura!

Qual é a importância da educação financeira infantil?

Aprender a economizar desde cedo, pode reduzir bastante os riscos de passar por dificuldades financeiras no futuro. Afinal, quem sabe usar o dinheiro, evita uma série de dívidas desnecessárias.

Infelizmente, muitos pais e responsáveis não trazem os pequenos para participar do planejamento financeiro: eles somente estipulam aos filhos, netos e sobrinhos uma mesada para gastar. 

Porém, fazer com que as crianças participem da administração do dinheiro é fundamental. Assim, desde pequenas, elas terão consciência de que é preciso tratar bem cada centavo para que elas sempre tenham uma reserva de emergência

É claro que a educação financeira infantil pode dar um pouco de trabalho: é comum que as crianças não entendam de primeira a real importância de entender como economizar.

Geralmente, as crianças têm a tendência de querer gastar tudo o que ganham, e é justamente esse tipo de pensamento que os pais precisam mudar. 

A educação financeira infantil não precisa ser chata: existem muitas atividades que estimulam o entendimento sobre economia e desperdício, e que podem despertar o interesse das crianças. 

Confira abaixo várias formas eficazes e simples de trazer a educação financeira infantil para a realidade das crianças.

Atividades lúdicas para estimular a educação financeira infantil

Existem diversas atividades lúdicas para a educação financeira infantil , que deixam a conscientização sobre o uso do dinheiro muito mais divertida para as crianças. Dentre elas estão:

  • jogar Banco Imobiliário;
  • criar um cofre personalizado e decorado de acordo com o gosto delas;
  • confeccionar um painel com os sonhos das crianças e o seu custo;
  • simular um pequeno mercado;
  • confeccionar moedas de mentirinha para incentivá-las a calcular os gastos.

educacao-financeira-infantil-atividades

Como fazer com que a educação financeira infantil seja mais eficiente?

Quando se trabalha o entendimento sobre economia e planejamento financeiro com as crianças, é importante que se use certas técnicas. O aprendizado precisa ser constante, e os responsáveis devem sempre trazer à tona a reflexão sobre o bom uso do dinheiro. 

Ensine as crianças o que é poupar

Uma das principais maneiras de mostrar às crianças que a gestão do dinheiro faz a diferença é estimulá-las a poupar

Quando o pequeno expressar a vontade de comprar algo, uma boa atividade é instrui-lo a guardar dinheiro para aquilo, inicialmente, a criança não ficará satisfeita, mas os responsáveis devem lembrá-la de que o dinheiro guardado servirá para comprar algo que ela quer muito.

Dessa forma, a noção de poupança fica bem mais fácil de ser entendida. 

Além de ensinar às crianças a poupar, também vale a pena mostrar para elas como multiplicar o dinheiro que foi poupado.

A partir de sete anos, já é possível estimular as crianças a transformar a quantia que elas receberam em novos recursos, e dependendo da maturidade da criança, ensinar um pouco sobre como funcionam os investimentos. se torna uma possibilidade. 

Explique a elas o que é um orçamento

Muitas vezes, as crianças têm dificuldade para entender quando não podem ter qualquer item: pode ser um brinquedo, um doce, uma roupa, etc. Essa é uma excelente oportunidade para trazer aos pequenos a noção de orçamento

É importante explicar que existe um valor máximo de dinheiro que se pode gastar com determinado produto. Também é importante dizer às crianças que, quando esse orçamento não é respeitado, não há dinheiro para itens que são necessários para a vida delas, como a comida. 

Para ajudar a ensinar as crianças sobre o que é orçamento e o quanto ele faz a diferença, confira aqui o artigo 10 aplicativos para organizar sua vida financeira agora

Ofereça recompensas por certas atividades do cotidiano

Há quem acredite que não se deve dar recompensas para que as crianças realizem alguma tarefa. No entanto, a educação financeira infantil fica bem mais eficiente quando se usa essa técnica. 

Algumas das atividades para as quais se pode oferecer recompensas para as crianças são:

  • colocar ou tirar a mesa;
  • retirar o lixo;
  • manter o quarto organizado por uma semana;
  • ajudar os irmãos;
  • realizar todas as tarefas escolares sem reclamar;
  • participar da organização de algum evento, como uma festa de família;
  • arrumar a cama;
  • ajudar a empacotar ou a desempacotar as compras;
  • secar o banheiro após tomar banho.

Usando essa estratégia, ensinar para as crianças as como economizar o que elas recebem. fica muito mais fácil.

Ensinar as crianças sobre necessidades e futilidades 

Se nem mesmo os adultos têm tanta facilidade para avaliar corretamente o que eles querem ter e aquilo que eles precisam, é claro que a capacidade das crianças é ainda menor. 

Para elas, não é importante ter uma reserva de emergência para alguma eventualidade, mas sim gastar o dinheiro imediatamente.

Aqui reside a importância da educação financeira infantil: deixar claro para os pequenos que nem tudo o que eles querem, eles devem comprar, assim evitam  ficar sem dinheiro para o que realmente precisam. 

É importante ensinar as crianças a se questionarem desde cedo: “Eu realmente preciso disso?” estimulando o raciocínio crítico dos pequenos.

Dar mesada ou não: o que a educação financeira infantil indica?

A ideia de dar mesada para uma criança sempre gerou um pouco de desacordo, pois: existem pessoas que acreditam que as crianças não devem mexer com dinheiro. 

A a mesada é uma oportunidade incrível para mostrar às crianças de maneira palpável, como elas podem tratar o dinheiro com inteligência.

Contudo, a mesada só é válida quando os adultos acompanham o consumo das crianças fazem, ou quando elas são estimuladas a poupar e a usar os recursos de forma sadia. 

Apenas entregar o dinheiro para as crianças é uma maneira pouco eficiente de torná-las responsáveis com relação às finanças. Por isso, ao decidir oferecer mesada aos pequenos, é importante acompanhar de perto o uso que é feito com o dinheiro.

Quando começar a dar mesada para as crianças?

É possível começar a ensinar as crianças a cuidar dos seus gastos financeiros quando elas tiverem ainda três anos. Nessa idade, a maioria delas já têm conhecimento de que precisam pagar por tudo que compram. 

O recomendado para a educação financeira infantil nessa etapa é criar um cofrinho: quanto mais interessante ele for para as crianças, melhor. Uma dica é usar garrafa pet para que as crianças sempre vejam a quantidade de moedas. 

Com crianças menores, é indicado oferecer mesadas de quantias pequenas. E também é importante avaliar a maturidade de cada um, pois isso pode determinar a variação de valores e os ensinamentos de educação financeira.

Qual é o melhor valor para dar de mesada?

Para estimular que as crianças se tornems boas administradoras , o valor da mesada não é o mais importante. Na realidade, a indicação dos especialistas é que esses valores aumentema  progressivamente, de acordo com a maturidade demonstrada pelos os pequenos. 

O valor da mesada também terá a ver com as posses financeiras de cada família. Apesar de toda a importância da educação financeira infantil, não se pode sacrificar o orçamento familiar para que uma criança receba uma mesada

Por isso, é indicado que a mesada seja determinada de considerando:

  • o padrão de vida da família;
  • a maturidade da criança;
  • a sua idade.

Uma observação importante é: mesmo que os pais estejam separados, a criança deve receber uma única mesada. O ideal é que ambos os responsáveis concordem com um valor único. 

Agora que você já entendeu tudo sobre educação financeira infantil, não deixe de comentar nessa postagem e nos contar como andam os ensinamentos financeiros dos seus filhos!

Para ter ainda mais dicas sobre saúde financeira em várias etapas da vida, veja o nosso blog!

Confira outros artigos que você pode se interessar