O que é outplacement e como ele pode ajudar no momento de uma demissão?

outplacement

A demissão de funcionários é sempre um processo complicado e delicado para qualquer empresa. Burocrático, pode envolver estresse para ambos os lados e pode impactar o desempenho dos demais membros da equipe. Por isso, todo o cuidado e profissionalismo é fundamental para realizá-lo com respeito e empatia.

O outplacement é um método que pode ajudar nesse momento difícil, pois visa auxiliar o profissional desligado a se recolocar de forma mais rápida no mercado de trabalho.  

Atualmente, o outplacement é utilizado por muitos RHs, pois ajuda a tornar o desligamento um processo mais humanizado, sem prejudicar o profissional que será demitido. 

Sua empresa utiliza esse processo? Continue a leitura deste post para descobrir como esse método funciona, quais são seus benefícios e como realizá-lo de forma bem sucedida. Boa leitura!

O que é outplacement?

O outplacement é um método que tem como objetivo auxiliar o profissional demitido a lidar com essa situação e se recolocar no mercado de trabalho. 

As empresas que realizam esse processo oferecem orientações, palestras de capacitação, workshops, análises de currículo, entre outras dicas para que o profissional saiba por onde começar a procurar outro emprego. 

Esse método, além de ajudar o ex-funcionário em sua nova jornada, é uma excelente estratégia para manter uma boa imagem da empresa. O outplacement demonstra que a organização se importa com os seus ex-colaboradores, não deixando-os totalmente desamparados após o desligamento.

O outplacement é uma excelente ferramenta para auxiliar profissionais que ficaram por muitos  anos na mesma empresa e estão desatualizados sobre os processos de seleção e recrutamento atuais. 

Assim, as empresas que oferecem esse processo, ajudam justamente nesse ponto, oferecendo todo o suporte necessário para que essas pessoas consigam enfrentar as novas exigências do mercado.

Quais os seus diferenciais e benefícios?

Ao contrário do que muitos podem pensar, o conceito de outplacement não é recente. Ele surgiu por volta dos anos 1980 em uma época de crises sociais e econômicas que geraram muitas demissões em massa. 

No início, a função desse processo era apenas “apagar o incêndio” causado por tantas demissões para não prejudicar a imagem das organizações. No entanto, com o passar dos anos, ele adquiriu diversos diferenciais e benefícios.

As empresas passaram a entender que o outplacement era mais do que um gerenciador de crise, ele era uma questão importante para o relacionamento e humanização das relações de trabalho.

Portanto, atualmente, o outplacement oferece diversos diferenciais e benefícios, tais como:

  • Apoio emocional e psicológico aos colaboradores, para minimizar o trauma da demissão;
  • Orientação sobre todo o processo de demissão, assim o colaborador sabe como agir, quais são os seus direitos, benefícios e pode entender melhor a rescisão contratual;
  • Consultoria para criação e formatação de novos currículos e portfólios;
  • Coaching de carreira;
  • Análise da carreira do ex-funcionário, para criar um novo plano de carreira;
  • Oferecimento de networking e marketing pessoal;
  • Treinamento para futuras entrevistas;
  • Auxílio no momento de buscar novas vagas e oportunidades.

Além de todos esses benefícios para os profissionais desligados, o outplacement também é muito vantajoso para as organizações que o oferecem. Ele melhora o clima organizacional geral da empresa. Afinal, os demais colaboradores sempre observam como a organização age diante de um desligamento.

Quando o processo é realizado de forma humanizada, a equipe enxerga isso de forma positiva, pois sabem que se eventualmente forem alvo de desligamento, serão tratadas da mesma forma. 

Além disso, oferecer o outplacement mostra que a empresa  se preocupa com seus funcionários mesmo no momento de desligamento, reforçando seus valores e reputação diante de todo o mercado.

Como realizar o outplacement?

Para que o processo seja realizado corretamente, as empresas precisam seguir os seguintes passos:

1. Planejar o outplacement

É necessário planejar todo o processo antes mesmo da demissão. Assim, caso seja preciso desligar um funcionário, a empresa já sabe exatamente como agir.

Para isso, é preciso contratar um especialista em outplacement ou uma outra empresa que preste o serviço de forma terceirizada. O responsável pelo processo irá avaliar previamente o perfil do profissional para determinar como o desligamento será conduzido, incluindo a duração do processo e os argumentos que serão utilizados para explicar os motivos da demissão.

Essa primeira etapa é fundamental para que todo o outplacement ocorra de forma tranquila e organizada. 

2. Anunciar a demissão

Em seguida, chegou o momento de informar o colaborador sobre seu desligamento. Para isso, o gestor deve se reunir com o funcionário para falar sobre a demissão, explicar os motivos e também informar os detalhes do outplacement – a data de início, como ele é realizado, etc.

Nesse momento, todas as informações importantes sobre rescisão de contrato,  benefícios e direitos do colaborador devem ser informados. Por isso é preciso ser transparente e objetivo.

3. Direcionar a recolocação ou transição de carreira

É neste momento que de fato o outplacement é colocado em prática. No entanto, as etapas anteriores são cruciais para que todo o processo seja realizado da melhor forma possível.

Após o processo de desligamento concluído, o profissional de outplacement ou a empresa contratada para realizar o processo irá iniciar todos os recursos oferecidos. 

Nesse momento, é iniciada a fase de recolocação ou transição de carreira. Para começar, é realizada a análise do currículo para aprimorá-lo e também entender quais os objetivos do ex-funcionário.

Seja qual for a intenção do profissional, o responsável pelo o outplacement é promover uma reflexão sobre a carreira para oferecer um plano personalizado ao profissional.

4. Dar apoio emocional

O suporte emocional é fundamental durante o outplacement. O colaborador deve ser encaminhado para uma conversa com o consultor ou mesmo um psicólogo para lidar com as emoções negativas e ansiedade desse momento.  

5. Construir a marca pessoal do profissional

Principalmente aqueles colaboradores que ficaram muitos anos na empresa podem estar totalmente desatualizados. Por isso precisam de apoio para conseguirem se destacar novamente no mercado de trabalho.

Alguns passos para esse momento são:

  • Suporte para atualizar currículo, portfólio e site com uma identidade própria e profissional;
  • Criar ou atualizar um perfil atrativo no Linkedin;
  • Produzir um conteúdo para blog pessoal para mostrar a autoridade do profissional em sua área;
  • Fazer networking no meio digital, workshops e outros eventos.

6. Oferecer um coaching de carreira

Outro passo importante para um outplacement de sucesso é oferecer um coaching de carreira. 

O coaching poderá ajudar o ex-colaborador a desenvolver seu potencial, encontrar os melhores caminhos em sua área e a se preparar para conseguir as melhores vagas. 

7. Auxiliar na busca das vagas

Muitas empresas que oferecem outplacement auxiliam, inclusive, na busca de novos empregos. Nesses casos, o consultor cria alertas de vagas personalizadas para o colaborador, recomenda as melhores plataformas, indica a pessoa a outras empresas e até mesmo concede assinaturas em sites pagos de empregos.

Há diversas plataformas online, como o Catho, que conta com anúncios de grandes empresas. Assim, torna-se mais fácil encontrar oportunidades para o ex-funcionário. 

8. Preparar para a entrevista

Por último, após todo o processo, quando o colaborador já se candidatou para novas vagas, o consultor de outplacement ajuda-o a se preparar para as entrevistas.

Desse modo, o ex-funcionário terá em suas mãos todos os recursos para ser bem-sucedido em novas oportunidades.

Quais as diferenças entre: Outplacement x Headhunters x Replacement?

No mundo do RH há diversos termos utilizados para auxiliar os profissionais que estão em busca de recolocação no mercado.

Agora que você já conhece o outplacement que é o auxílio dado ao ex-colaborador no momento de buscar por novas oportunidades, chegou a hora de conhecer outros dois: Replacement e Headhunters. Assim saberá a diferença entre os três.

Replacement também é uma recolocação profissional mas, diferentemente do outplacement que é cedido pela organização que realizou a demissão, é uma espécie de consultoria paga. Ela tem o objetivo de assessorar o profissional que quer se recolocar no mercado por meio de entrevistas, busca de vagas compatíveis e outras ações que visam a recolocação profissional. 

Enquanto isso, o Headhunter é um tipo de caça-talento. Esse profissional é contratado por empresas para buscar e recrutar profissionais que atendam a todas as exigências da organização. Ele é responsável por selecionar os profissionais com os perfis mais adequados para cada tipo de cargo.

O Headhunter pode ser uma excelente ferramenta para empresas que estão buscando por talentos no mercado. Se interessou pelo assunto? Saiba como contratar esse profissional corretamente neste outro artigo.

Conclusão

Voltando ao assunto principal deste texto, que é o outplacement, é importante que as empresas saibam que ele é fundamental para humanizar o processo de desligamento. Estamos vivendo uma fase de muitas incertezas e crise financeira e, sabemos que diversas demissões precisam ser feitas.

Por isso, oferecer o outplacement pode ser uma excelente forma de não deixar os ex-colaboradores desamparados diante do mercado profissional atual. 

 

Conhece alguém que está passando por uma demissão? Compartilhe este post em suas redes sociais para que mais pessoas conheçam o outplacement e seus benefícios!

Confira outros artigos que você pode se interessar