Seguro de vida empresarial: entenda a sua importância

Seguro de vida empresarial

Para a sua empresa seguir competitiva nesse mercado de trabalho, tão prejudicado pela crise do novo coronavírus, certamente deverá contar com alguns atrativos para a retenção de talentos. Um deles pode ser a contratação de um seguro de vida empresarial. Mas, você sabe como ele se aplica e quais são os seus benefícios?

É importante levar em consideração todas essas informações, já que muitas pessoas não têm os conceitos definidos em mente e não sabem como funciona o seguro de vida empresarial, o que ele cobre para os colaboradores, ou se é mesmo obrigatório para toda empresa oferecê-lo.

Para tanto, não se preocupe, pois neste artigo apresentamos um guia detalhado sobre tudo que precisa saber antes de contratar um seguro de vida empresarial. Aqui, você verá os seguintes pontos principais:

  • O que é seguro de vida empresarial?
  • Como funciona o seguro de vida empresarial?
  • O que um seguro de vida empresarial cobre?
  • Por que ter um seguro de vida empresarial?
  • O seguro de vida empresarial é obrigatório para todos os funcionários?
  • Quanto custa o seguro de vida por funcionário?
  • Como contratar um seguro de vida empresarial?

Sabendo de todos esses aspectos, a sua empresa poderá ser cada vez mais atrativa e competitiva no mercado, oferecendo um diferencial para o seu colaborador se sentir ainda mais motivado no ambiente empresarial. 

Se quiser conhcer ainda mais sobre esse benefício, fique com a gente para aprender cada vez mais sobre esse tipo de seguro. Boa leitura!

O que é seguro de vida empresarial?

Antes de tudo, um seguro de vida empresarial é contratado por uma empresa, sindicato ou associação, com o objetivo principal de assegurar proteção aos seus colaboradores, sócios e demais beneficiários

Portanto, ele é um benefício adquirido por uma dessas organizações, com o intuito de proteger coletivamente a vida financeira de todos os funcionários, em casos eventuais de acidente, morte, invalidez permanente entre outros casos.

A contratação desse seguro de vida, mesmo não sendo obrigatória em todas as profissões, é importantíssima para garantir maior tranquilidade para todos os envolvidos no ambiente organizacional. 

Afinal, ninguém gostaria de trabalhar em um local, no qual a sua segurança no trabalho esteja comprometida, bem como a vida financeira para a posteridade.

Além disso, com o aquecimento do mercado de seguros de vida, muitas empresas têm colocado em primeiro lugar a contratação desses planos, seja individual, seja coletivo. Mas, você sabe em qual deles se encaixa o seguro de vida empresarial? Veja isso mais a seguir.

Como funciona o seguro de vida empresarial?

Para entender melhor como funciona o seguro de vida empresarial, primeiramente, você precisa identificar em qual das categorias que esse tipo de seguro se encaixa. 

Como o nome já sugere, o seguro de vida empresarial se enquadra num acordo coletivo, já que a negociação não ocorre isoladamente entre cada segurado.

Nesse caso, durante a contratação de cada colaborador, ocorre a inclusão dele para a apólice coletiva da empresa, sindicato ou associação. 

Desse modo, qualquer uma delas será a estipulante do seguro contratado, a qual será a principal responsável pela negociação de cláusulas, tais como, prazos, carências, idade máxima permitida, como serão os reajustes dos prêmios, garantias e muitos outros.

Assim, a indenização estará disponível para o colaborador que tiver sofrido algum acidente de trabalho que o incapacite ou invalide para o exercício da profissão. 

Além disso, nos casos de morte natural ou provocada por acidente de trabalho, os dependentes financeiros diretos terão também direito à indenização.

O que o seguro de vida empresarial cobre?

Esses casos de acidente de trabalho não são os únicos para determinar a indenização do seguro de vida empresarial, já que é muito comum que a maioria das pessoas pense que o dinheiro somente deve ser liberado nesses fatídicos acontecimentos, mas a cobertura do seguro de vida pode ser ainda mais ampla, como por exemplo em:

  • despesas odontológicas e médicas: para casos de acidente com o segurado;
  • antecipação do prêmio de vida: nesse caso, o funcionário que estiver com doenças crônicas ou terminais terá o direito à antecipação, em vida, da indenização;
  • assistência do funeral: a família não precisará arcar com os valores referentes ao funeral do beneficiário;
  • invalidez permanente: o colaborador terá a sua vida financeira assegurada em caso de acidente que o deixe inválido para o cumprimento das funções;
  • diárias por internações ou incapacidade temporária: caso seja necessário, o funcionário terá o pagamento de suas diárias de trabalho garantidas pelo plano;

Ademais, é fundamental destacar que a cobertura do seguro de vida empresarial pode variar de acordo com o modelo definido pela empresa

Como já dissemos, cada uma delas negociará de acordo com a sua necessidade, já que nem todas têm o mesmo número de funcionários e isso pode afetar quanto ao custo dos planos.

Apesar disso, é preciso ressaltar a importância do seguro de vida empresarial. Mesmo não sendo obrigatório, ele pode garantir tanto benefícios para os colaboradores  quanto para as próprias empresas, as quais serão mais bem vistas pelo mercado em geral por se preocupar com o bem-estar geral dos seus funcionários.

Por que ter um seguro de vida empresarial?

A importância do seguro de vida empresarial vai muito além de assegurar ao colaborador ou aos seus dependentes próximos um direito a uma indenização. 

Por esse benefício ser muito evidente, as pessoas acabam sendo reducionistas ao se referirem a esse modelo. Contudo, existem muitas outras vantagens de uma empresa ou um colaborador aceitar a proposta de um seguro de vida empresarial. 

Desse modo, será neste tópico que você entenderá de maneira mais profunda o porquê desse modelo ser tão difundido no mundo corporativo. Confira abaixo algumas das vantagens que ele oferece:

Maior segurança financeira

Esse é o benefício principal de uma empresa ter um seguro de vida para funcionários. É super importante se sentir num lugar em que há mais garantias tanto para o segurado, quanto para os dependentes se algo pior acontecer.

Ninguém torce para que ocorra um acidente, mas infelizmente, por mais segurança que uma empresa tenha, pode haver falhas na segurança. 

Nesse caso, a melhor forma de um gestor lidar com elas é se antecipando através da compra de um seguro de vida para seus funcionários.

Essa decisão, além de mostrar a credibilidade da empresa, deixa quem colabora com mais motivação para entregar resultados mais confiáveis e de maior qualidade. 

Afinal, em uma pesquisa feita pela Universidade de Warwick, na Grã-Bretanha, funcionários mais felizes rendem 12% mais nas empresas.

Menor custo em relação a um seguro de vida individual

Como escolher o seguro de vida para funcionários? Anteriormente, você viu que um seguro de vida empresarial se comporta como um plano coletivo, ou seja, não há uma negociação de cada funcionário com a companhia de seguros. A empresa age como intermediadora e negocia um tipo de plano único para os funcionários.

Essa é uma das vantagens mais aparentes para os empregadores, pois a escolha por um plano individual pode até atingir as necessidades de cada colaborador, no entanto ela pode gerar um custo muito alto, ainda mais para companhias de médio e de grande porte que podem ter ao todo mais de 500, 600 funcionários!

Dessa maneira, a opção de oferecer um seguro de vida para funcionários de forma coletiva se torna mais viável para a maior parte das empresas pelo seu custo bem mais baixo.

Dedução do imposto de renda

Além de ter um custo menor, a empresa pode ter a dedução do imposto de renda como benefício por implementar um seguro de vida para funcionários. Isso só é concedido para aquela organização que trabalhar num regime tributário de Lucro Real

Como há o aumento nas despesas as empresas obtêm um lucro declarado menor, por isso, a lei permite a elas uma tributação menor, o que também as incentiva ao oferecimento desse importante benefício aos seus colaboradores.

Ademais, é preciso destacar que a dedução do imposto de renda não é somente concedida às empresas, mas também aos trabalhadores segurados durante a retirada da indenização.

Redução da rotatividade dos funcionários

A redução da rotatividade dos funcionários se torna evidente quando se coloca na pauta de benefícios o oferecimento de seguro de vida para os colaboradores. 

Eles se sentem mais à vontade para desempenhar os seus papéis na organização quando percebem que a empresa oferece condições melhores de trabalho, além de zelar por eles.

Segundo uma pesquisa da Robert Half feita entre 2010 e 2014, o índice de turnover no Brasil é de 82%, o que é altíssimo, já que no mundo, os índices giram na casa dos 38%

E um dos motivos para essa taxa elevada de rotatividade de profissionais no país é a baixa remuneração e falta de reconhecimento por parte das empresas.

Portanto, a empresa que entender que o oferecer um seguro de vida e estabelecer um atrativo plano de carreira para os seus colaboradores são fundamentais para atrair e fazer a retenção de talentos, sairá na frente e chegará antes da concorrência na linha de chegada da maratona.

Seguro de vida não é herança!

É isso mesmo que você leu, seguro de vida em geral não é herança. É importante esclarecer este ponto neste artigo, pois muitos dependentes ou herdeiros diretos do segurado falecido têm essa dúvida frequentemente. 

O que explica a não entrada dos valores do seguro de vida empresarial no inventário é a praticidade de todo o processo. Ficou confuso? Calma, vamos explicar. 

Quando ocorre o óbito de alguém, o processo de inventário se inicia para que a partilha do recebimento da herança seja possível aos herdeiros diretos. No entanto, o inventariado costuma ser bastante lento em algumas ocasiões, o que dessa forma torna esse processo bem mais caro e desgastante para as famílias

Portanto, se o objetivo de um seguro é exatamente assegurar financeiramente os dependentes diretos ou o próprio colaborador no caso de acidentes, não faz sentido algum deixá-los esperando até o fim do processo de partilha para o recebimento da indenização.

Quer saber ainda mais sobre a importância do seguro de vida para os seus funcionários? Então leia: Por que contratar um seguro de vida para meus funcionários?

O seguro de vida empresarial é obrigatório para todos os funcionários?

Como a CLT não tem uma recomendação específica sobre o seguro de vida empresarial, não são todas as profissões que exigem a contratação desse modelo de seguro. Portanto, pode-se até dizer que essa decisão fica a cargo dos empregadores, não sendo obrigatório na maioria das áreas.

Apesar disso, segundo o artigo 461 da lei 5452 da CLT, se qualquer funcionário receber o benefício do seguro, todos os outros deverão receber da mesma forma, o que segue a linha dos benefícios igualitários para todos.

Além disso, existem algumas profissões que, através de convenções coletivas, não operam sem o seguro de vida concedido aos funcionários. Essa exigência se deve a alguns sindicatos mais organizados, como os da área da construção civil, cujo trabalhador é exposto a riscos de queda e de queimadura. 

Outra área em que há obrigatoriedade do seguro de vida é a da limpeza urbana. Os resíduos humanos são o suficiente para que garis possam ter doenças consideradas graves, como febre tifoide, conjuntivites e leptospirose, por exemplo.  

Os motoristas também se enquadram nesse grupo, já que eles correm bastante risco de acidentes de trânsito diariamente. Eles podem passar muitas horas ao volante e, com isso, podem trazer muitos problemas de saúde física e psicológica.

Quer saber mais sobre os benefícios assegurados aos trabalhadores pela CLT? Então, confira este artigo: Benefícios do trabalhador: quais são os benefícios assegurados pela CLT?

Quanto custa o seguro de vida empresarial por funcionário?

O custo do seguro de vida empresarial por funcionário pode variar muito de acordo com o segmento de uma empresa. 

Um dos motivos para isso se dá pela convenção coletiva determinada por cada sindicato de uma categoria trabalhista. Portanto, dependendo do grau de risco ou de periculosidade de uma profissão, mais completo e mais caro será o seguro de vida.

Além disso, existem dois planos possíveis que determinam quem contribuirá com os custos do seguro de vida para funcionários. Veja quais são!

  • Plano não contributário: Aqui, o funcionário não arcará com valor algum para o pagamento do seguro de vida. Somente a empresa será responsável por ele.
  • Plano contributário: Nesse caso, o funcionário contribuirá, seja parcialmente, seja totalmente com os valores estipulados para o pagamento do seguro de vida, o qual já será descontado no próprio salário do segurado.

Como contratar um seguro de vida empresarial?

Já que escolher o seguro de vida para funcionários é algo fundamental para que a sua empresa mantenha credibilidade e alcance novos talentos, é importante que tenha em mente em como você deve contratar um seguro de vida empresarial.

Antes de tudo, pesquise bem uma corretora de seguros confiável no mercado. Veja se as propostas de cada uma cabem no orçamento da empresa e após a escolha, peça a eles um estudo detalhado, através dos dados que fornecerá sobre os seus colaboradores, tais como, nome, atividade exercida e a idade do segurador.

Após esse estudo, negocie com a seguradora os valores das premiações e em quais benefícios você quer que ela assegure

Só lembrando que quanto mais detalhado for um plano, mais caro será o seu custo, mas não perca de vista que ele deve ser um diferencial para a sua empresa!

Quer continuar antenado nas novidades da Xerpay? Siga as nossas redes sociais no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn e fique por dentro! Até a próxima e deixe nos comentários se o seguro de vida empresarial vale a pena.

Confira outros artigos que você pode se interessar